Páginas

segunda-feira, junho 30, 2008

O dilema de Ícaro


Entre escombros e vidro, cá estou
A vida continua e o que contruí desabou
Tomou o rumo de uma pedra, que tende a descer
Talvez morta, mas quem irá saber?

Um dia resolvi me jogar e tentar voar
Minha vida é de pedra
Mas meus sonhos são asas, que planam e planejam no ar
Quem me fortalece não vai ver minha queda

Asas de pedra não parecem voar
...e vidas de penas no sol irão queimar
.

2 comentários:

Priscila Rocha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Priscila Rocha disse...

ele é o meu poeta
...e minha pedra.
não a que fala o verso, a que desce, não.
ele é a que fica, a pedra preciosa da minha vida.
e ele vai ficar pra sempre,



in my heart!

Te Amo 'pérola'.
"só enquanto eu respirar[...]"